Relato – Meia de Sampa 2012

Tempo de leitura: 6 minutos

Neste domingo muito frio de julho foi realizada a “Meia de Sampa”, na região do Jockey Club de São Paulo e imediações da USP / Parque Villa Lobos, que contou com a presença de um bom número de corredores para os percursos de 5.5K, 10K ou 21K. Parti para os 21K, minha terceira meia maratona, primeira nestas condições de temperatura.

O kit foi composto por camiseta, sacola, revistas, sache de gel, número de peito e toca foi entregue na Brazil Sports Show, feira de esportes que acontece no Ibirapuera. Retirei na sexta feira, a retirada do kit deu direito a acesso livre a feira. Um rápido comentário: Achei a feira com qualidade inferior comparando com o ano passado, ha tantas marcas, tanta coisa que poderia estar lá, e neste quesito estava bem limitado.

A última semana não fiz alterações no sentido de diminuir a intensidade de esforço, alias, até aumentei com a mudança de serie (para circuito) na academia. O único dia que tirei para descanso em relação a esforço foi na sexta e sábado, mesmo assim em ambos dias fiquei bastante tempo em pé mas nada que tenha atrapalhado em algo domingo. Carboidratos foram a base de pizza/esfirra (bem saudável) tanto na sexta quanto no sábado.

No domingo, dia da prova, acordei as 5 horas da manha. Com uma temperatura baixíssima, sair da cama foi bem difícil, mas não dava para enrolar muito, já que tinha que pegar o chip ainda (O2, aprenda com a Corpore ou Yescom e entreguem antes). Fui direto tomar café, a base de carboidrato e suco, para depois trocar de roupa. Por volta das 5h30min já estava me dirigindo para o Jockey, onde cheguei na região por volta das 6h30min. Como não havia fiscalização, os flanelinhas estavam tomando conta de tudo na região, resumindo que tive que deixar o carro bem longe do evento para não ter que pagar para não me arrebentarem o carro.

Cheguei dentro do Jockey por volta das 6h45min, como havia esquecido a sacola para usar o guarda volumes, preferi deixar tudo no carro mesmo, só levei a chave no bolso e o celular, já que iria ouvindo musica no percurso.

Chip retirado, feito um alongamento rápido, tive que procurar algum lugar que tivesse água para umedecer a cinta do frequencímetro. Nada como uma cinta molhada com uma temperatura de 9 graus. Assim que o frequencímetro passou a funcionar “na base do tranco”, me posicionei no pelotão verde, bem ao lado do marcador de ritmo dos 6,5min/km. Optei por acompanha-lo para tentar fazer uma boa marca (em comparação as anteriores). Não havia ido aos banheiros químicos antes da largada devido a grande fila somada a falta de tempo, isso acabou pesando mais tarde.

Meia de Sampa
Meia de Sampa

É iniciada a prova por volta das 7h10min, com o percurso saindo de dentro do Jockey (no estacionamento) em direção a rua José Augusto de Queiros, rua paralela ao Jockey, em direção da Av. Lineu de Paula Machado. Até então não dava para impor um ritmo bom devido a quantidade de pessoas, tanto que o marcador de ritmo estava ha quase 500 metros de distancia em determinados trechos e eu não tinha espaço para fazer uma aproimação. Nesta Av também, por volta do km 3, se encontrava o primeiro ponto de hidratação, havia somente uma pessoa de cada lado da rua distribuindo água para todo mundo, não consegui pegar, também não era tão necessário no momento.

Passando pelo túnel que corta a Francisco Moratto, seguindo pela Av Valdemar Ferreira, logo após a Praça Vicente Rodrigues havia a separação da galera dos 5.5K e 10K, que faziam a volta cinquenta metros à frente, dos 21K que continuavam pela Av. Afranio Peixoto, tomando logo a frente a Rua Alvarenga, onde se localizava o segundo ponto de hidratação do percurso.

Agora com percurso limpo, dava para impor um ritmo legal, o marcador de ritmo dos 6,5min/km que tinha a idéia de acompanar estava a poucos metros a diante e foi questão de manter o ritmo, subindo a ponte Cidade Unviersitaria, passando pela Av. Prof. Manoel José Chaves, Praça Pan Americana e a Av. Professor Fonseca Rodrigues, até o Parque Villa Lobos, onde seria feito o retorno pela mesma avenida, sentido contrario, agora em direção da Faria Lima, neste momento estava completando uma hora de prova e fiz uso do primeiro e único sache de gel, que havia esquecido de tomar no inicio da mesma.

O momento mais complicado da prova foi entre o Km 5 e o Km 11. Lembra a fila que estava no banheiro químico que acabei o ignorando, foram exatos 6km procurando algum até que encontro o único ponto deixado pela organização no percurso. Tive que esperar um tempo ainda para desocuparem para sim poder usar. Ao todo foram três minutos do tempo final pro lixo devido a espera e uso do mesmo.

Saindo de lá fui buscar o tempo perdido. Correndo encontrei o marcador de ritmo (que estava “do lado” quando parei) bem a frente, teria que dar um gás imenso para alcança-lo, isso até serviu de estimulo já que vinha fazendo 6min/km até então e passei a fazer 5min/km após a parada, media que mantive até o fim da prova.

Fazendo o contorno próximo a Rua Ferreira de Araujo, voltamos pela Av. Pedroso de Morais, sentido Praça Pan Americana para a parte final da prova, com um desvio (um treco de vai/volta de 300 metros) pela Rua dos Semaneiros. Logo a frente deste ponto, havia um ponto de isotônico em copos de isopor, tentei correr bebendo, não consegui, tive que fazer leves paradas para beber e correr em um ritmo contido para não derrubar todo o conteúdo do copo. Quando vão aprender que isso não se distribui em copo?

Continuando a prova, passamos pela Praça Pan Americana, Av Prof. Manuel Jose Chaves e pegamos novamente a Ponte da Cidade Universitária e a Av Alvarenga. Entrando na Av Alfranio Peixoto, ja se torna visual a minha distância com o marcador dos 6,5min/km. Consigo alcança-lo na Av. Lineu de Paula Machado logo após o túnel. Como estava bem, deixei para traz e continuei impondo ritmo e segui pelo trajeto voltando agora pela Rua José Augusto de Queiroz e finalizando os últimos 4 km dentro do Jockey, alternando entre asfalto e areia.

Tempo de relógio foi de 02h11min e o oficial da prova 02h14min, já que pausei no percurso que fiquei esperando.

Apesar do imenso frio foi uma excelente prova, superou as expectativas em relação a tempo e ainda considerando o fato de não estar totalmente descansado… E não é que os “treinos suicidas” da academia vem dando resultado?! Que venha mais!!

A última meia maratona do ano é a Golden Four da Asics, para quem queria fazer uma este ano, fazer 4 e ainda uma de 25km esta ótimo.

Resultado:

Meia de Sampa
Meia de Sampa
confirmation_number Número de Peito 1111
supervisor_account Modalidade 21K
access_time Tempo Final 02:14:30
access_time Tempo Relógio 02:11:40
hourglass_full Tempo Bruto 02:17:02
trending_up Classificação Total 1183
trending_up Classificação Faixa Etária 137
trending_up Classificação por Sexo 1068
timelapse Pace Médio 06:24 min/km
timelapse Velocidade Média 09,37 km/h
folder_shared Categoria M2529

Sobre

Guarulhense, desenvolvedor de softwares e soluções web, apaixonado por corridas, fotografia, viagens e muito rock.

http://www.diegoronan.com.br