Tribuna de Santos: é uma prova sempre bem vinda ao calendário, pelos fatores do clima e envolvimento da cidade para com a prova. Minha última participação, foi em 2014; este ano decidi ir, ainda mais com bastante amigos inscritos nela, somando ao fato da facilidade de receber o kit em casa, via correios.

Tribuna Santos

O kit chegou faltando cerca de uma semana para a corrida. Um kit básico, contendo camiseta, número de peito, chip de cronometragem e uma revista sobre a prova.

Organizada com largada por ondas, a minha partiria somente às 8:15, a primeira dos amadores. Precisava chegar cedo, então me organizei para chegar as 7. Com isto, acordei as 5, tomei um café da manhã rápido e desci para Santos, sem transito e maiores transtornos, via Imigrantes.

Desta vez parei o carro próximo a região da largada, na Rua São Francisco, para desembarque; ficou a cargo de meu pai levar o carro para o ponto de chegada, onde marcamos de nos encontrar mais tarde.

Encontrei os amigos da assessoria próximo ao guarda volumes, onde aguardamos até as 8:00, quando nos deslocamos para a área da largada.

A corrida começou pontualmente às 8:15, com uns pingos de chuva. O dia apesar de nublado para chuvoso, estava relativamente quente e bem úmido.

Tribuna Santos

Esta prova tem o percurso cheio do começo ao fim, as vezes temos que ir para a calçada como forma de abrir espaço para passagem, além de ser uma prova que o público acompanha e participa, com cartazes, academias dando aulas das calçadas, DJs, Shows, e até mesmo havia gente fazendo churrasco na calçada, pelo caminho.

A prova foi tranquila, pontos de hidratação bem distribuídos, a cada 2km, com água gelada, e uma prova concluída em pouco mais de 53 minutos. Correndo sempre próximo ao meu limite. Cheguei a pensar em andar inúmeras vezes, mas consegui finalizar sem fazer isto.

O único ponto que coloco como negativo foi a distribuição de medalhas, havia vários pontos, mas apenas um ou outro distribuindo, fazendo acumular bastante fila sem necessidade.

Terminando a corrida repeti a estratégia de 2014: reencontrei meu pai, fiz uma parada na SmartFit (preciso lembrar que abre as 10) para banho e retornei para São Paulo.

Próxima prova é meia!

Resultado:

Tribuna Santos

  • Número de Peito: 3562
  • Tempo Final:  00:53:05
  • Categoria:  M2529
  • Modalidade:  10k
  • Tempo Bruto:  ND
  • Classificação Total: ND
  • Classificação por Faixa Etária:  ND
  • Pace Médio:  05:14 min/km
  • Velocidade Média Total: 11,50 km/h
  • Informações Gerais: Garmin

Este domingo aconteceu em São Paulo a XVIII edição da Meia Maratona, realizada pela Corpore, contando com as distancias de 5K ou 21K.

A retirada do Kit se deu na loja Decatlhon, na unidade do Morumbi. Achei mais válido desta vez usar o serviço de retirada de kit da própria assessoria, pela distância que a loja fica de casa, e que teria que rodar só para fazer isto em 5 minutos no sábado.

O kit veio bem simples: camiseta, número de peito, gel de carboidrato e uns snacks dentro de uma sacolinha do evento.

O percurso nesta edição mudou: a prova tem início e término no Jockey, em vez da Cidade Universitária, como era de costume. Coincidentemente aconteceu próximo ao Jockey, no Parque do Povo, uma etapa do Circuito Athenas, o que atrapalhou um pouco a logística do estacionamento, já que costumo parar nesta área em provas no Jokey.

Restou então aguardar domingo para ver o que dava para fazer, lá mesmo.

Domingo amanheceu frio, temperatura na casa dos 17 graus. Acordei as 5 da manhã, saindo de casa as 5:30 e chegando na região do Parque do Povo as 6. Consegui estacionar próximo a Av. Faria Lima, daria uma caminhada maior, mas foi o jeito.

Depois de retirar meu kit, o chip e alongar, me posicionei para a largada e prova, que iniciou pontualmente as 7h.

Comecei a prova e bateu uma dor nas pernas, devido a intensidade de treinos da semana, tentei ir forçando aos poucos, de forma gradativa, mas estava difícil virar algum km abaixo dos 6. Até então tomar no km 9 um sachê de cafeina, que deu um gás que fiz o restante da prova na casa dos 5.

A hidratação não teve problemas, em media a cada 3kms havia um posto distribuindo água. Alguns pontos até em menos de 3km ja havia um posto, bem diferente do perrengue que foi na edição do ano passado, que, claro, o tempo frio ajudou, diferente do calor que foi aquela edição.

Entre o km 10 e 11 houve um ponto de distribuição de isotonico e banana.

Uma prova boa em modo geral, consegui um tempo de 2h02, bem abaixo daquela meia de fevereiro, mas ainda bem acima do que realmente consigo render. Com o frio agora ajuda a melhorar o ritimo e abaixar ainda mais.

Próxima prova, por enquanto, 10k da Tribuna em Santos, praticamente comemorando meu aniversário.

Até lá!

Resultado:

Meia Maratona

  • Número de Peito: 2373
  • Tempo Final: 02:02:49
  • Categoria:  M3034
  • Modalidade:  21k
  • Tempo Bruto: 02:07:42
  • Classificação Total: ND
  • Classificação Faixa Etária: ND
  • Pace Médio: 05:46 min/km
  • Velocidade Média Total: 10:40 km/h
  • Informações Gerais: Garmin

Bora começar o ano?!

Neste domingo foi realizada a XI Meia Maratona Internacional de São Paulo, contando com as distancias de 5k ou 21k e a presença de cerca de 10 mil participantes.

A retirada do kit aconteceu na Centauro do Shopping West Plaza. Apesar de ser em uma área relativamente pequena, não havia muita gente / fila / tumulto na tarde do sábado.

O kit veio composto por camiseta, número de peito e chip, um sachê de carboidrato, café, água de coco e um anti inflamatório.

Uma ação da Yescom vem chamando bastante atenção do publico é a campanha que “demoniza” os “corredores pipocas”. Deram até um panfleto com “trocentos porquês” não se deve correr sem inscrição. Na minha opinião, uma prova bem organizada, com o chamado padrão internacional (vemos poucas dessas por aqui), diminuiria e muito o numero de pessoas não inscritas.

Voltando para o relato, o resto do dia foi para descansar e seja o que Deus quiser domingo, que o calor viria forte. Os próprios longos no começo do ano já estão um inferno.

Acordei por volta das 5 da manhã deste domingo; para a largada as 7 foi até tranquilo, o fim do horário de verão ajudou um pouco nessa.

Saí por volta das 5:30 de casa, cheguei na região do Pacaembú por volta das 6. Não deu para estacionar no local que costumo deixar o carro, por causa das interdições. Acabei parando nas ruas próximas, e não deu para escapar dos flanelinhas.

Chegando na praça Charles Muller, encontrei o pessoal da assessoria e, então, foi só esperar pela largada as 7. O sol e céu azul ja anunciavam o terror que viria a seguir.

Para acessar a largada, fizeram a filtragem na entrada dos setores; desta vez, estavam separando o pessoal de acordo com as cores do número de peito - que ditaram o rítimo escolhido - e quem estava sem inscrição não entrava, tinha que começar a correr depois do pórtico.

O início foi pontual. O percurso manteve a base do ano passado, pegando o elevado na metade da prova e voltando para o Pacaembú.

Não notei problemas com falta d’água, os pontos estavam com água gelada e até que bem distribuídos, mas o calor estava demais. Muita gente andando com 1/3 da prova concluída, me incluo nessa.

Houve também pontos de distribuição de gatorade em saquinho logo depois da praça da republica e no fim da prova, e distribuição de carboidrato em gel há cerca de 6km do fim.

Depois de se perguntar por cerca de 1h30 “O que estou fazendo aqui?!”, concluí a prova em 2h18. Tempo péssimo, melhor qdo que o do ano passado? foi! mas mesmo assim para que faz meia para a casa de 1h50… volte logo inverno!

Resultado:

Meia Maratona

  • Número de Peito: 7508
  • Tempo Final: 02:18:47
  • Categoria:  M3034
  • Modalidade:  21k
  • Tempo Bruto: 00:00:00
  • Classificação Total: 000
  • Classificação Faixa Etária: 000
  • Pace Médio: 06:22 min/km
  • Velocidade Média Total: 09:50 km/h
  • Informações Gerais: Garmin

2016 está acabando e este ano não poderia terminar de forma diferente: mais uma Corrida Internacional de São Silvestre, contanto com a participação de cerca de 60 mil pessoas, metade destas na pipoca.

A retirada de kits ocorreu nos 4 dias que antecederam a prova, na região do ginásio do ibirapuera. Deixei para retirar no segundo dia, logo que abriu as 9 horas da manhã: Nada de fila, retirada bem rápida e tranquila, diferente de alguns anos que cheguei a ficar 3 horas na fila, no sol, para conseguir retirar.

A feirinha da São Silvestre estava la também como nos anos anteriores, não me atentei aos itens a venda, devido a pressa.

São Silvestre

Falando do kit, este veio composto por camiseta, número de peito, chip descartável e os materiais de merchandising como café, medicamentos, atum - que inclusive saiu noticia que alguns estavam vencidos, não foi meu caso, e agua de coco.

A partir de então, o que restou foi esperar pelo dia da corrida…. e chegou! este sábado amanheceu daquele jeito que todo mundo odeia correr: um inferno. Apesar de São Silvestre para mim ser sempre sem compromisso, essa vi que ia avacalhar legal e levar bem na brincadeira.

Saindo de casa as 7:30 e chegando as 8:30 na paulista, foi só aproveitar o clima de confraternização que começou lá, e se deu por todo o percurso.

A corrida iniciou pontualmente as 9 da manhã. Um prova foi difícil, mais ainda para quem quis levar a prova a sério.

São Silvestre

A maior parte das mudanças no percurso para ruas maiores, foi benéfico para o começo da prova. Cortaram umas subidas desnecessárias em ruas estreitas. Mesmo com algumas mudanças, ainda tem muita rua estreita pelo percurso, que mesmo com mais de 10km de prova, provoca tumulto.

A hidratação com um calor de mais de 30 graus, para mim estava mal distribuída: podia muito bem ter mais pontos, com água gelada mesmo, e mais perto um do outro. Garanto que ninguem foi pego de surpresa com uma temperatura alta dessas.

Tanto que por volta do km 8, no centro de SP, parei em um bar para tomar qualquer coisa que vi gelada, foi uma H2O, ja que a organização não ofereceu algo que realmente refrescava.

São Silvestre

Outro problema que notei foi muito quebra mola no caminho sem sinalização - nesses cinco minutos parado me hidratando de verdade em um dos bares que tinha no percurso, vi duas pessoas caindo no mesmo ponto em um intervalo de três minutos, e disseram que outras pessoas ja haviam tido o mesmo problema

E a prova se resumiu nisso: pessoal passeando por SP em um ritmo bem lento, com água quente e sob um calor de mais de 30 graus, vale pela festa que esta prova proporciona, mas acontece em hemisfério errado, podia ser nos EUA com temperatura negativa.

O tempo? Fiz sub 2 /sarcasmo hahahahaha

Feliz 2017 galera!

Resultado:

São Silvestre

  • Número de Peito: 835
  • Tempo Final: 01:59:37
  • Categoria:  M3034
  • Modalidade:  15k
  • Tempo Bruto: 00:00:00
  • Classificação Total: 00
  • Classificação Faixa Etária: 00
  • Classificação Sexo: 00
  • Pace Médio: 07:46 min/km
  • Velocidade Média Total: 7:80 km/h
  • Informações Gerais: Garmin

Neste domingo, 20 de novembro, foi realizada mais uma edição da SP Classic - troféu Zumbi dos Palmares, agora na edição número 15. Contando com a presença de pouco mais de mil pessoas a prova ocorreu no percurso que envolve o entorno do parque Ibirapuera e Rubem Berta, dividido entre as distancias de pouco mais de 4k ou 10k.

A retirada dos kits se deu na loja da Decatlhon do shopping Lar Center, a exemplo das ultimas provas realizadas pela Corpore, nos dois dias que antecederam o evento. Optei por ir retirar sábado a tarde. Sem filas, o kit foi bem básico, contendo camiseta e numero de peito.

Domingo amanheceu bem frio para um meio de primavera, temperatura na casa dos 13 graus, bom para puxar um ritmo forte, sem ter o calor como inimigo.

Sai de casa por volta das 6h, estacionando proximo a Assembleia Legislativa por volta das 6h30. Estranhei o pouco numero de participantes, pouco mais de mil, como disse acima, em um evento que anos atras ja foi cheio, com quase dez mil participantes.

A concentração de publico e estrutura da prova, dessa vez foi próximo ao obelisco. Retirei o chip “não descartável” (não seu o porque da Corpore insistir nisso), guardei os pertences no guarda volumes e encontrei a galera da assessoria.

Depois do alongamento feito, me posicionei para a largada e iniciei mais uma prova. O percurso se deu saindo de frente ao obelisco, na pista que seria a “contra mão” dos veículos, contornando o ibirapuera até o retorno no fim do túnel Ayrton Senna, onde ja havia um posto de hidratação, retornando peto outro lado da avenida no sentido contrario ao que viemos, até cair na avenida Rubem Berta, passando por mais um ponto de hidratação antes de chegar no km 3.5 da prova.

Na Rubem Berta, dessa vez também fomos no sentido inverso ao de costume, na “contra mão” dos veículos, e com mais 4 pontos de hidratação espalhados pela avenida.

Consegui manter um ritmo relativamente bom, na casa dos 5, durante a maior parte do percurso. Só uma ou outra subida que fazia o ritmo cair um pouco, mas nada que não recuperasse logo em seguida. Passando pelo km 8 e o relógio ja marcando 41min, vi que seria difícil atingir o objetivo de abaixar os 50min, precisava fazer os dois últimos quilometro na casa dos 4min/km, ou seja, pauleira.

Fiz o que deu, e acabei fechando em 50m32s, foi quase, mas ok pelas circunstancias - mais pesado e, por conseqüência, lento. Em uma próxima 10k, quem sabe.

Resultado:

SP Classic

  • Número de Peito: 835
  • Tempo Final: 00:50:32
  • Categoria:  M3034
  • Modalidade:  10k
  • Tempo Bruto: 00:00:00
  • Classificação Total: 00
  • Classificação Faixa Etária: 00
  • Classificação Sexo: 00
  • Pace Médio: 05:01 min/km
  • Velocidade Média Total: 12:00 km/h
  • Informações Gerais: Garmin