Relato – Meia Maratona EDP Lisboa

Tempo de leitura: 5 minutos

Hoje foi dia da EDP Lisboa Half Marathon, meia maratona e 10k que partem de um dos cartões postais da cidade, a ponte 25 de abril, terminando em frente ao mosteiro dos Jerônimos. A prova é famosa por ostentar o recorde dos 21k nas categorias masculino e feminino, contando com a presença de 35 mil participantes.

Foi minha primeira prova com a assessoria Navras Tri, uma assessoria voltada ao triatlo, quem sabe um dia… nunca havia treinado tanto para uma meia maratona, cheguei a fazer rodagem de 27k durante a semana para voar nesta prova, além de treinos semanais se subida, tudo para voar e ter um excelente desempenho. Nunca havia treinado com base em frequência cardíaca e pace bem definidos, aliás, nem os treinos de rodagem vi que não fazia direito, ja que sempre estava puxando forte e a prova cobrava o preço, foi uma bela mudança.

Para a prova, depois dos treinos citados, tinha a expectativa de fazer a meia para 1h42, o que baixaria meu RP de 1h49 em 7 minutos, um bom tempo, e tinha tudo para conseguir este tempo. A estratégia da prova era manter um pace de 5:10 nos primeiros 2km, depois nos próximos 12km algo em torno na casa dos 04:50 a 5:00, com fc entre 150 e 160, e nos últimos 7km segurar a fc em 160bpm.

Nunca havia ido a Lisboa, a viagem daqui de Lyon é um voo direto, saímos na quinta para Portugal, de Lyon, em um voo de 2h. Chegamos e fizemos aqueles passeios turísticos para conhecer um pouco da cidade. Deu para ver que a prova seria em um sol bem forte.

Antes da prova a partir da viagem ainda teve 2 treinos, um de tiro e uma soltada antes da prova.

A retirada dos kits ocorreu na quinta, sexta e sábado, dias 5, 6, e 7 de maio, das 10:00 às 20:00, na Seaside Sport Expo, na tenda do Centro Cultural de Belém, em Lisboa. Eu deixei para ir ao último dia, no sábado, por volta das 18h.

O local estava vazio, havia uma “feirinha” igual vemos nas provas no Brasil. O kit veio contendo camiseta, porta número de peito com chip, boné, whey, materiais de patrocinadores e revista.

Restara descansar o resto do sábado para a prova de domingo. Inicialmente achei a proposta de horário para as 10:20 para a largada bem “cool”, não precisaria acordar cedo e ir desesperado para a largada, e já seria um horário que os transportes estariam funcionando normalmente.

Tomei um café da manhã bem tranquilo, um pão com frios e café, e sai para a prova por volta das 08:40, chegando na estação da ponte da 25 de abril as 09:50. O trajeto da chegada a estação de trem até a largada estava repleto de gente indo para a largada. Os trens estavam bem lotados.

Chegando na estação havia um ponto com banda logo na saída, e deste ponto até a largada uma caminhada de cerca de 1km, com banda também no caminho.

O sol estava bem forte, consegui me posicionar logo no começo, na linha de frente, em uma espera de uns 20 minutos até a largada. Estava com sede, mas para não perder o lugar, preferi ficar por lá. A largada não era por blocos, ficava na frente portanto quem chegava primeiro, o que atrapalhava que já tinha gente caminhando no km 1 da prova, por que saem na frente então?

Começa a prova as 10h20, até o km 8, consegui manter a estratégia proposta, daí para a frente foi um Deus nos acuda. O calor pegou forte, daí para o final foi aquela coisa de muita gente abandonando, passando mal, quebrando, soube que houve até caso de morte nesta corrida. O tempo castigou, e largar as 10h20 quase no verão não foi uma ideia muito inteligente. Faria sentido isto no inverno, onde amanhece por volta as 8, 10 portanto o tempo estaria de agradável para frio.

Consegui achar a Quel <3 no final da prova, filmando o que restou de mim.

Não tenho na cabeça o número exato de pontos de hidratação (pior, água quente), o primeiro sei que apareceu no km 5, depois se não me engano apareceu a cada 3km. Houve pontos intercalados com água de distribuição de isotônico, e também um ponto de distribuição de gel e um ponto de distribuição de frutas. Além de trechos com bombeiros jogando água para ajudar a refrescar e pontos com esguicho de água, também para refrescar.

Achei o ponto de dispersão também bem bagunçado, muita gente para pouco espaço, meio tumultuado e sem uma delimitação clara de onde cada um poderia ir. Depois li na internet que teve gente que ficou até sem medalha. Ela veio em uma gym bag distribuída junto aos demais item pós prova (banana, água e sorvete). Poderiam ter valorizado isso mais também. Um dos poucos pontos positivos foram o local da largada, bem bonito o visual, e a largada. A feira da prova não tinha nada assim “espetacular” ….

Ja de pontos negativos, foi basicamente a organização prova em si, pela bagunça que foi.

No Brasil olhamos para as provas de fora achando que são exemplos de organização e as nacionais são porcaria… caímos naquela máxima do quintal do vizinho, mas neste caso o quintal dos vizinho não é tão verde assim como todo mundo acha, longe disso. Muitas provas do Brasil dão de 10 nesta, fácil.

Parece que normalmente esta prova ocorre em março o que faria até certo sentido uma largada as 10 da manhã, é tempo ainda de um tempo relativamente frio e amanhece um pouco mais tardio, mas em maio isto, é totalmente sem sentido.

Não veio o tempo de 1h42 que tinha em mente, mesmo assim deu RP, fechando a prova em 1h47.

A próxima é em Paris, Adidas 10k… e horário também começando tarde. Veremos como será esta.

Resultado:

confirmation_number Número de Peito 10997
supervisor_account Modalidade 21k
access_time Tempo Final 01:47:16
hourglass_full Tempo Bruto 01:47:34
trending_up Classificação Total 1604
trending_up Classificação Faixa Etária 252
trending_up Classificação por Sexo 1451
timelapse Pace Médio 05:06 min/km
timelapse Velocidade Média 11,75 km/h
help_outline Outras Informações Garmin

Sobre

Guarulhense, desenvolvedor de softwares e soluções web, apaixonado por corridas, fotografia, viagens e muito rock.

//www.diegoronan.com.br