Neste domingo foi realizada a XIX Maratona de São Paulo. Além do percurso da Maratona, havia opções menores de escolha, entre elas a de 3k, 10k e 25k.

O kit contendo Camiseta, Número de Peito, Chip descartável, e materiais de patrocinadores como café, doces, entre outros, foi entregue na quinta, sexta e sábado que antecederam a corrida. Retirei meu kit na quinta por volta das 19hrs no ginásio no Ibirapuera. A retirada foi bem rápida, sem complicações de fila ou espera.

Com o kit na mão, restara somente controlar a enorme ansiedade, não treinar nos três dias que antecederam a prova e nada mais.

Sábado fiz uma boa carga de carboidratos que seria importante para a prova. Passei grande parte do dia de pé, isso atrapalhou um pouco meu desempenho na corrida, que o cansaço pegou pesado.

Chegou domingo. Depois de três meses de muito treino e desgaste, finalmente chegara o dia de minha estréia nos 42k. O sábado, dia anterior da prova foi de tempo nublado, sem abertura de sol e frio; segundo a meteorologia, este seria o tempo que faria também no domingo, até me animei que não sofreria tanto com o calor. A alegria durou até sair para fora de casa no domingo: tempo totalmente aberto, muito sol, o que significara muito desgaste.

Foi também a prova de estreia do Garmin 310xt, depois de ter vendido o MotoACTV.

Maratona de SP

Sai de casa para a região do Ibirapuera, local da largada, por volta das 6h30 da manhã, chegando na região do parque as 7h. Tempo suficiente para ajeitar os detalhes finais e partir em busca do objetivo do ano.

Me posicionei com a “galera do fundão”, ultimo setor, justamente para acompanhar o ritimo deles e não se deixar levar pela velocidade da galera mais experiente.

A largada foi dada as 8h, sendo que a minha as 8h14 - horario que consegui passar pelo portico de largada.

Procurando ficar sempre atrás dos “blocos” que buscavam os 42k, mantive um pace na casa dos 7min/km durante a maior parte da prova.

O primeiro sache de carboidrato consumi no km 9, pouco antes da ponte estaiada na marginal pinheiros, sempre pegando e ingerindo água em todos pontos de hidratação.

Maratona de SP

Por volta do km 12 senti um leve incômodo no joelho, na hora deu um medo de tudo ir por água abaixo mas passou e não tive problemas.

No km 16 estava o ponto de Gatorade da prova. Desta vez em saquinho, mil vezes melhor para consumir. E o único ponto com bebida em temperatura agradável, não gelada, poderia ser mais, mas perto das águas que estavam dando… aproveitei e consumi dois.

No km 18 avistei o Beto me aguardando embaixo da placa de marcação do km 22, local que ele iria me encontrar e partir para fazer uma “meia maratona”, me dando um suporte na parte final da Maratona. Neste quilometro também avistei outro amigo, o Wesley, na busca dos 42k.

Maratona de SP

Encontrando o Beto no km 22, entramos na “torturante” cidade universitária, onde no km 23 consumiria mais um sache de gel de carboidrato.

Passando pela divisão dos concluintes dos 25k e maratonistas, por volta do km 27 a coisa ficou feia. O combustível do corpo acabou, mente estava praticamente em pane. Uma grande dor no estômago, um certo enjôo; tudo que colocava no estômago não estava sendo bem aceito, ainda mais a água quente.

Na USP foi a região onde encontrei o Roberto Itimura, um guerreiro também na sua estreia nos 42k, e reencontrei o Wesley, desta vez na avenida da raia.

Entre os kms 26 e 36, pouco depois da saída da cidade universitária, fomos na base do trote e caminhada. Não estavamos diferentes de ninguém ao nosso redor, todos dando aquele apoio uns aos outros para não desanimar mas o cansaço era demais para todos, tanto que o que se via era somente gente caminhando e expressões de dor.

Maratona de SP

O primeiro ponto de distribuição de comida, estava no Km 31 ou 32, os staffs distribuindo batata cozida em saquinho. Comi mas não senti diferença nenhuma.

No km 36, estava um ponto de distribuição de gel e fruta. Nunca havia comido laranja durante uma prova, resolvi experimentar e comi praticamente uma inteira. Talvez era o estomago vazio, falta de algo no sangue, sei la, sei que a laranja me deu um “gas” até o final da prova que de “quebrado”, passei a fazer meu melhor ritimo de toda a prova, e sem andar até o final.

Prova concluida em exatas 5h. Muita dor mas uma satisfação tão grande quanto. Saber e se mostrar que é capaz de uma superação deste nivel é demais.

Fica aqui um agradecimento especial para o Beto! Poucos tem uma atitude dessas para estar junto quando precisamos de um suporte. Amigo é amigo :)

Ano que vem tem mais, melhor treinado e quem sabe com acompanhamento nutricional, quem sabe assim não quebro. E levar laranja para o km 20 =)

E o Garmin, 100% adaptado e fácil operar.

Resultado:

Maratona de SP

  • Número de Peito: 9256
  • Tempo Relógio:  05:00:25
  • Tempo Final:  05:04:18
  • Categoria:  M2029
  • Modalidade:  42k
  • Tempo Bruto:  05:19:34
  • Classificação Total: 2202
  • Classificação por Faixa Etária:  158
  • Pace Médio:  07:07 min/km
  • Velocidade Média Total: 8,39 km/h
  • Informações Gerais: Garmin

Na noite deste sábado, 24, ocorreu na Cidade Universitária, em São Paulo, a Run The Night, a primeira meia maratona de revezamento noturna, com opções de quartetos, duplas ou solo.

O kit, contendo o básico (camiseta, numero de peito e chip), foi retirado na loja da Decathlon Morumbi, na sexta feira, pós expediente. Retirada rápida e sem filas, o problema só foi o transito para chegar no local, sexta feira no horário de pico. Aproveitei para comprar uns saches de carboidrato que havia acabado e estava sem há tempos. Foi muito proveitoso nesta prova.

A planilha da maratona pediu 30km de rodagem para o fim de semana. Minhas opções: dar uma volta a mais assim que concluir a prova começar a correr cerca de uma hora antes, rodar cerca de 10k e continuar com a meia maratona normalmente.

Pelo horário decidi sair uma hora antes; ficaria muito tarde completar a meia maratona em cerca de duas horas e rodar mais uma hora buscando a quilometragem adicional.

Calculando isto, sai de casa as 17h45min em direção ao local da prova, onde cheguei as 18h30min. Carro estacionado fora da USP, rumo ao Portão 01 da Cidade Universitária, encontrei a Priscilla no caminho.

Pertences deixados no guarda-volumes, começa meus 30k por volta das 18h50min. Sai fazendo o percurso reverso ao da corrida onde retornaria assim que completasse 5k, não respeitando o percurso em si (2 voltas no mesmo local já é maçante o suficiente).

Um trecho que adicionei, o da Av Prof. Luciano Gualberto, foi uma novidade que nunca havia explorado, basicamente plano com uma subida no trecho final, fazendo um contorno na rotatória. Olhando pelo mapas vi que mais um ou dois quilômetros estaria no portão 01. Durante a volta tive que passar por meia dúzia de cachorros pelo caminho não muito amigáveis, deu uma adrenalina a mais no treino rs.

Cheguei na região da largada faltando cinco minutos para a largada, 20hrs, com 9.5km marcados no relógio. Um ponto chato é que me deu muita fome durante os 10km iniciais, pedi para o staff uma maça na região de entrega de frutas para os finishers e recusaram, enfim, se sentisse mal no percurso por falta de comer e com recusa de staff seria motivo para não participar de provas organizadas pela Iguana. Sim, pode ser ordem mas se passo mal, como fica?

Na área da largada encontrei a Carol, a Priscilla e a Blois. Largamos juntos e as acompanhei no primeiro km dos 21 que viriam pela frente. Logo de início havia um ponto de hidratação; seria minha primeira hora de prova (ao todo), tempo do primeiro sache de carboidrato. Isso ajudou muito!

Por volta do km 4, um ponto de Água e Gatorade, ponto que se repetiria no km 6, durante a volta, depois do trecho mais forte do percurso, a subida da Av Prof. Almeida Prado até a Pça da Prefeitura.

Depois do trecho mais forte, o trecho mais chato: o da Av. Professor Lucio Martins Rodrigues, quatro idas e vindas que somam dois quilômetros no percurso, com um ponto de hidratação na primeira ida. Completou o percurso com o retorno à avenida da raia, subindo cerca de 500 metros paralelo ao estádio e retornando à avenida da raia, onde havia o último ponto de hidratação, fechando a primeira volta e recomeçando tudo de novo.

A única parte descartável da prova toda foram os mimados que moram nos apartamentos da avenida da raia xingando e tirando sarro dos corredores, total imaturidade.

Concluí meus 30km em 3h18min, os 21km devem ter dado cerca de 2h17min, tempo alto mas pelo desgaste que já vinha tendo uma hora antes da prova começar, o tempo foi o de menos, um treino de luxo.

Semana que vem tem mais 30km (pretendo 35km) de rodagem para a maratona, outubro está chegando, e este deve ser o próximo grande desafio!

Resultado:

Run the night

  • Número de Peito: 499
  • Tempo Relógio (30K):  03:18:39
  • Tempo Final:  02:16:57
  • Categoria:  M2029
  • Modalidade:  21k
  • Tempo Bruto:  02:19:11
  • Classificação Total: 506
  • Classificação por Faixa Etária:  49/54
  • Pace Médio:  06:31 min/km
  • Velocidade Média Total: 09,20 km/h
  • Informações Gerais: Garmin

Neste domingo foi realizada mais uma edição de São Paulo da Golden Four Asics, corrida com percurso único de meia maratona que contou com muito frio e a presença de 6 mil participantes.

Golden Four Asics

A entrega dos kit foi realizada no sábado no centro de convenções do World Trade Center em São Paulo. Com espaço amplo para a realização da Golden Four Expo, a feira contou com espaço para divulgação de materiais dos patrocinadores, loja da asics, palestras, área para teste de velocidade e pisada, massagem, personalização da camiseta e foto. Deixei para ir buscar o kit no sábado por volta das 14 horas. Encontrei amigos da Galera Endorfinada no local e fiz a retirada sem enfrentar muita fila. Kit retirado, e personalização com minha estimativa de tempo feita, restou curtir a feira, em seguida fazer um treino curto (6k) da planilha para a maratona e aguardar a corrida que viria de manhã.

Golden Four Asics

O kit feio composto por uma viseira, numero de peito e chip descartável, camiseta e materiais dos patrocinadores.

O fim do sábado sobrou para recarregar as energias, ingerir bastante carboidrato e arrumar as coisas para acordar domingo pronto para mais uma prova.

Domingo as 5h o relógio desperta, muito frio e neblina em São Paulo com temperatura na casa dos 9 graus, tempo de se trocar, comer um pão e sair.

Por volta das 6h30min chegamos no Shopping Eldorado, cujo estacionamento que estaria aberto para quem quisesse deixar o carro ao custo normal do valor pago para o shopping. Como ficava relativamente próximo (cerca de 2km da largada/chegada) foi uma boa opção.

Golden Four Asics

Carro estacionado, deixei as coisas no carro mesmo e fomos para a área de largada, onde chegamos por volta das 6h55. Terminei o alongamento iniciado no caminho e rumo a mais uma prova.

Me posicionei na minha área (com pace com previsão de 2h de prova). Só restou aguardar. A prova começou por volta das 7h05, aproveitei o frio e impus um ritmo forte para ver até aonde conseguiria.

Deixei para trás os marcadores de ritmo e fui na casa dos 5min/km durante todo o percurso, o ritmo forte pesou na casa do km 14 de prova, foi administrar a velocidade até o fim. Percurso que contou com Garotade, Água, atendimento Médico e Banheiro Químico em todo o percurso a cada 3km, padrão das provas da Asics. O percurso deste ano foi o que a foto abaixo ilustra.

Golden Four Asics

O sol só deu as caras nos metros finais da prova, nada que interferisse no resultado.

Apesar de usar a prova como um treino sem pretensões de tempo, consegui minha melhor marca em meia maratona: 2h cravados.

O pós treino teve um pouco de fila, mas fluindo rapidamente, com o staff entregando as medalhas, em seguida o gatorade, lanche e uma toalha.

Agora é continuar os treinos, diminuir a quantidade de musculação até o dia do grande objetivo do ano, a Maratona de SP.

Resultado:

Golden Four Asics

  • Número de Peito: 4498
  • Tempo Relógio:  02:00:19
  • Tempo Final:  02:04:15
  • Categoria:  M2529
  • Modalidade:  21k
  • Tempo Bruto:  02:08:16
  • Classificação Total: 3124/4424
  • Classificação por Faixa Etária:  312
  • Pace Médio:  05:38 min/km
  • Velocidade Média Total: 10,70 km/h
  • Informações Gerais: Garmin

Neste sábado fora realizada a etapa de São Paulo da Energizer Night Race, corrida noturna com opções de percurso de 5 e 10k.

Foi uma corrida que gostaria de ter participado no ano passado, mas acabou conflitando calendário e não pude estar nela.

Fiz a retirada do kit na quinta feira. Aproveitei que era dia de treino de corrida, e a fnac, local da retirada, estava localizado a 4k do local que trabalho, resolvi esticar um pouco mais o trecho para completar 10k (5k ida / 5k volta) e fui correndo. Um treino diferente, apesar do frio, passei por vários lugares que nunca passei em uma prova.

Cheguei na fnac por volta das 19h30min, não havia ninguém retirando os kits quando cheguei, não demorou nada além de entregar o protocolo de retirada e irem buscar o chip, entregar a camiseta e testar o chip. O kit veio composto de, alem de número de peito, chip e camiseta, por uma headlamp e a sacolinha da Energizer.

Energizer

Sábado foi um dia de tempo aberto, com sol. Temperatura agradável até o sol se pôr, depois o frio pegou. Com medo de pegar trânsito e ficar sem lugar para estacionar, fui pouco antes das 18hrs para a região. As 19h15 já estava na USP, local da prova. Parei do lado de fora da cidade universitária, pegando o acesso pelo Portão 01 até chegar ao local do evento.

Até as 20h, horário de inicio da prova, foi esperar para ver se encontrava alguém conhecido (o Allan chegou as 19h30) e ficar tirando fotos.

A cerca de 30 minutos para o inicio de corrida, deixei os pertences no guarda volumes e iniciei o aquecimento / alongamento por 15 minutos, quando foi liberado o acesso para a área da largada.

Primeiro ponto negativo: sem divisão de grupos de pace. Tudo bem que ninguém respeita nada, é gente que vai caminhar se bobear largar até com a elite, mas mesmo assim, atrapalha muito quem quer buscar um tempo legal.

Faltando um minuto para o início da prova, todas as luzes foram apagadas e o primeiro km de prova, a fonte de iluminação seriam feitos pelas headlamps fornecidas no kit.

Saindo em um ritmo forte, na medida do possível, fui alternando entre 4 e 5 min/km durante toda a prova, sempre utilizando a casa dos 5 como descanso e a casa dos 4 como uma puxada mais forte.

Energizer

Pontos de hidratação a cada 2km com água gelada, e um ponto de Gatorade (em copo) no sexto km e uma longa divisão no encontro dos 5k com os 10k foram pontos positivos para a prova.

Resultado de todo esforço foi um tempo de 52 minutos, igualando a casa do meu melhor tempo nos 10k, ainda não consegui o tal sub-50 mas sem pressa, uma hora chega.

O pós prova foi detestável, o então “Segundo e Terceiro ponto negativo”: Uma fila enorme para pegar as frutas, medalha e Gatorade. Também 4 pessoas entregando em 2 pontos para todo mundo só poderia resultar nisso. Foram cerca de 20 minutos para conseguir chegar até o fim e depois teria mais um mundo de pessoas enfileiradas para acessar o guarda-volumes. Não é exagero dizer que demorou mais tempo para retirar o kit pós prova e retirar as coisas no guarda-volumes que correr os 10k em si.

Pelo menos o som ambiente estava bom e deu para curtir, apesar do frio.

O entorno da cidade universitária estava bem tranquilo quando sai, exceto para sair de dentro da USP, onde estava bem complicado. Este foi o ponto bom de parar do lado de fora. Caminho livre até a Marginal, e casa.

Junho ainda não tenho uma prova definida, talvez seja somente um mês de muito treino. Por enquanto, portanto, a prova é a G4 da Asics.

Resultado:

Energizer

  • Número de Peito: 2930
  • Tempo Final:  00:52:18
  • Categoria:  M2529
  • Modalidade:  10k
  • Tempo Bruto:  00:52:47
  • Classificação Total: 442
  • Classificação por Faixa Etária:  72/180
  • Pace Médio:  05:13 min/km
  • Velocidade Média Total: 11,47 km/h
  • Informações Gerais: Garmin

Neste sábado, dia 18, aconteceu a primeira etapa do revezamento Bertioga-Maresias. Desci para Bertioga com o Beto e a Silvia na sexta feira por volta das 22hrs, via Mogi. Sem trânsito, chegamos na Riviera de São Lourenço por volta das 23h30 e encontramos a Ana na residência de sua amiga, utilizada como base de Bertioga. Um agradecimento especial a Ana e sua amiga, ajudaram muito!!

O restante da equipe chegou na sexta feira de madrugada (Priscila, Wesley, Gilson), por volta das 1h30 da manha, e no sábado pouco antes da prova iniciar, no caso da Carol. O Henrique havia descido na sexta também.

Na Riviera, foi tempo para ajeitar as vestimentas e comidas para o dia seguinte e descansar nas poucas horas que restaram.

No sábado, levantamos as 6h da manhã, tempo somente para tomar café, guardar tudo no carro para levar ao destino final (Maresias), e partir rumo a largada, próximo ao Forte de São João.

Bertioga - Maresias

Chegamos no local da largada as 8h20, pela primeira vez a equipe estava 100% reunida em termos de lugar.

Apesar de ter amanhecido frio, o sol apareceu entre as nuvens e manteve o dia com temperatura agradável.

Assim que a prova iniciou, com a Priscila fazendo o primeiro trecho, os demais foram para os próximos PCs para as trocas. É um momento que você pensa, que será muito maçante esperar tanto tempo para chegar a sua vez, mas o tempo voa, nem vê passar e já está lá correndo, mesmo sendo um dos últimos.

Logo no primeiro ponto de troca encontrei o Marcus Garcia, que estava lá com sua equipe, ele que abraçou o último trecho da prova. Assim que a Priscila completou sua parte, partiu a Silvia para o segundo trecho enquanto o Beto aguardava no ponto seguinte.

Assim sucedeu com a Carol, com o Wesley e finalmente minha vez no PC5 rumo ao PC6. Aguardando o Wesley encerrar sua parte e partir para meu trecho, encontrei o Paulo Lee, que estava participando também do revezamento.

Bertioga - Maresias

Aguardamos cerca de 45 minutos o Wesley (a maior distancia seria a dele). Assim que o Henrique o localizou próximo ao PC, me alertou e parti.

Sem nem dar o start no relógio, e feito logo, comecei a corrida impondo ritmo dos 5min/km. Não sei o que houve com o fone de ouvido, mas não conseguia subir a musica de jeito nenhum, acabei desistindo e guardando no bolso, correndo sem som. O ambiente também era agradável o suficiente para tornar isto desnecessário.

O percurso foi tranquilo, como choveu no dia anterior, sua maior parte era de estrada de terra, ou seja, lama. Como não iria adiantar ficar “pulando” para desviar das poças, já que perderia tempo e iria sujar do mesmo jeito, fui atropelando o que tinha na frente. Não há ponto de hidratação (água) no trecho, somente Gatorade após cruzar uma ponte de madeira e iniciar as subidas.

Bertioga - Maresias

A subida foi por sinal a parte mais puxada do percurso, cerca de 1km que foi parte correndo e em sua maior parte andando, até sobrou tempo para parar para registrar umas fotos enquanto recuperava o fôlego.

Depois de subir tudo também, a descida veio na mesma proporção, foi sentar a perna no asfalto e puxar forte até o final, que foi do km 7 ao 9 pela praia.

Cheguei no final em 53 minutos e passei a cronometragem para o Gilson que continuou para finalizar com o Henrique esta grande prova, trazendo consigo as medalhas para coroar todo nosso esforço.

Encerramos assim a ultra de revezamento. Um fim de semana perfeito de muita risada, endorfina e paisagens fantásticas!

Valeu galera e que venham as próximas!!

Resultado:

Bertioga - Maresias

  • Número de Peito: 1017-6
  • Tempo Final:  00:53:56
  • Tempo Bruto:  07:04:23
  • Trecho:  06
  • Distancia do Trecho: 9.7k
  • Categoria: Força Livre / Mista
  • Classificação Categoria: 54
  • Classificação Geral: 288
  • Pace Médio:  05:42 min/km
  • Velocidade Média Total: 10,50 km/h
  • Informações Gerais: Garmin