Musculação com orientação ajuda na corrida de rua

Tempo de leitura: 2 minutos

É cada vez mais comum encontrar nas academias corredores amadores interessados em fazer musculação com exercícios voltados para melhorar o desempenho nas provas. Os benefícios vão desde a melhora da postura, passando pelo ganho de resistência, até a prevenção de lesões. O militar Márcio Fonseca é um dos que encontrou nessa atividade um complemento para sua preparação para as corridas.

– Eu faço musculação na segunda, quarta e sexta, e terça, quinta e sábado trabalho de corrida. A musculação é focada no trabalho de fortalecimento dos músculos da perna para evitar lesões e aumentar a resistência na corrida também – afirma o militar.

Foi por conta do medo de se machucar durante uma prova ou treino que a dentista Lúcia Chagas recorreu a uma academia para se exercitar.

– Nas provas e nos treinos, eu nunca senti dor, mas eu tenho muito medo de me lesionar e não conseguir correr direito. Por isso faço a musculação certinha, focada para não ter problemas com a corrida – declara a corredora

A importância da musculação para quem corre é ressaltada por Sérgio Macuco, coordenador do setor aeróbico da academia “Body Limits”, do Rio de Janeiro.

– Na corrida de rua você tem o desgaste, principalmente, da musculatura dos membros inferiores. Por isso a musculação é importantíssima no que se refere ao tônus muscular. O corredor tem que trabalhar musculaturas específicas, como o quadríceps -que é o músculo da coxa-, glúteo, posteriores de coxa e a panturrilha. Fortalecendo essas estruturas, ele terá uma economia de esforço e um rendimento melhor – diz o professor

Entre os exercícios mais indicados para quem corre, Sérgio aponta aqueles que trabalham o quadríceps e panturrilha, muito acionados durante o ato de correr, e os músculos das costas, responsáveis pela postura

– A musculação deve ser feita em dias alternados à corrida, de duas a três vezes por semana. Exercícios de extensão e flexão de joelhos, extensão de perna e panturrilha e de remada são os mais indicado – acrescenta.

Mas é preciso ter atenção ao começar a “puxar ferro”. A série de exercícios deve ser passada e supervisionada por um professor de Educação Física que esteja a par dos objetivos do interessado, pois a execução incorreta pode gerar problemas ao invés de benefícios, alerta

– Os exercícios da série, a carga e a quantidade de repetições para quem corre são diferentes dos prescritos para quem está focado em hipertrofia (ganho de massa muscular). É importante frisar que todo exercício deve ter acompanhamento de um profissional, de um professor de Educação Física. Isso evita problemas físicos – conclui Sérgio.

Globo.com

Sobre

Guarulhense, desenvolvedor de softwares e soluções web, apaixonado por corridas, fotografia, viagens e muito rock.

//www.diegoronan.com.br