Guia de Suplementos – Parte 2: Para ganhar força e explosão

Tempo de leitura: 3 minutos

Não precisa ser um supercorredor nem rato de academia para saber que os suplementos esportivos estão por toda parte onde haja gente praticando atividade física. Esses produtos oferecem inúmeros benefícios para esportistas: fornecem energia para o treino render mais, ajudam a recuperar os músculos, retardam o cansaço, aumentam a força. Mais vantagens: são uma mão na roda para quem não tem tempo para fazer uma refeição adequada antes de treinar e, por serem concentrados, os nutrientes das composições são rapidamente absorvidos pelo organismo. Mas não é por isso que todo mundo está liberado para tomar por conta própria.

Os especialistas garantem que se você é iniciante, não precisa deles. “A suplementação só é recomendada para quem privilegia a performance e faz treinos longos e intensos”, diz André Pellegrini, nutricionista esportivo do Instituto do Atleta (INA), em São Paulo. Em sessões com mais de uma hora de duração ou distâncias a partir de 10 km, além de treinos de velocidade, tiros ou com subidas, portanto, tudo bem recorrer a eles. “Se não for o seu caso, o ideal é obter os nutrientes por meio de uma dieta equilibrada, que privilegie alimentos saudáveis.”

Para escolher o melhor suplemento e a dose certa para você (com base no seu objetivo, estilo de vida, carga de treinamento e exames que mostrem como anda sua saúde), o correto é consultar um nutricionista. Isso porque a escolha deve ir além do sabor do produto. Pessoas hipertensas, diabéticas ou com problemas de tireoide, estômago, rins ou fígado, além de distúrbios de sono, podem apresentar reações a determinada fórmulas.

Criamos um guia para tirar suas dúvidas sobre os suplementos preferidos de quem treina e como aproveitá-los ao máximo. Na segunda parte desta série de matérias – serão cinco no total – vamos focar na melhor alternativa para ganhar força e explosão para correr.

PARA GANHAR FORÇA E EXPLOSÃO

CREATINA

Trata-se de um conjunto de aminoácidos (glicina, arginina e metionina) encontrados naturalmente em carnes vermelhas e peixes, porém em quantidade insuficiente para ser suprida apenas pela alimentação. A creatina auxilia na reconstrução do ATP, molécula que fornece energia rápida para os músculos e age por pouco tempo. Por isso, é indicada para incrementar a performance em treinos curtos e rápidos, que demandam explosão, como tiros de corrida, além de crossfit, musculação com poucas repetições e muita carga e esportes que envolvem velocidade, como tênis e futebol. Não é indicada para treinos ou provas longas (acima de 15 km) porque, como leva água para dentro músculos, pode deixar o corpo pesado e comprometer o rendimento em atividades prolongadas. O suplemento também colabora para reduzir a fadiga por transportar energia extra para as células.

Como usar: em pó ou cápsulas, deve ser consumida de 20 a 30 minutos antes do treino, sem ultrapassar a dose máxima de 3 gramas por dia. Ingeri-la junto com uma fonte carboidrato (uma fruta, torrada ou água de coco, por exemplo) vai otimizar o efeito do suplemento.

Fique esperto: se usada sob orientação específica, não oferece restrições, a não ser no caso de pessoas com problemas renais ou hepáticos, que devem evitar o consumo para não sobrecarregar rins e fígado. Como a creatina tende a reter líquido no organismo, é importante beber bastante água. Em mulheres esse efeito pode ser ainda mais desconfortável, com sensação de ganho de peso e surgimento de celulite.

LEIA MAIS:
Guia de suplementos – parte 1: para garantir pique
Guia de suplementos – parte 2: para ganhar força e explosão
Guia de suplementos – parte 3: para retardar a fadiga
Guia de suplementos – parte 4: para recuperação
Guia de suplementos – parte 5: para queimar gordura

Sua Corrida

Sobre

Guarulhense, desenvolvedor de softwares e soluções web, apaixonado por corridas, fotografia, viagens e muito rock.

//www.diegoronan.com.br